terça-feira, janeiro 26

Fluvial ou Pluvial?



Um caminhão, literalmente afogado em Barra do Piraí, RJ
*Deixo as Expedições para os próximos posts*
...Ainda em aula de geografia, no colegial, a primeira vez que ouvi "Fluvial e Pluvial", não consegui identificar o que era cada um, isoladamente. Na prova: "O que são águas fluviais?" Confesso, resposta errada!
Errado tb, a todos que pensam: "-Mas essas águas são do rio, ou da chuva?
Essas águas, meu caro, são sim, de uma margem que foi exterminada para virar esgoto urbano, depósito de lixo e afins. Essas águas são, de fato, armazenadas até que abram as comportas das hidrelétricas e ai vira um "Deus nos acuda"... Essas águas são, dolorosas formas de "se matar um leito de rio", construindo sua casa bem pertinho dele, cortando tudo que é mata ciliar. Essas águas então, são o reflexo de tudo que fizemos, de tudo que nos tornamos e de tudo que seremos...
Janeiro é um mês que castiga: sol escaldante e chuvas arrasadoras no fim de tarde. País tropical é assim, o verão é assim! Mas esse ano não está pra curtição. Deixemos as férias de lado pra visualizar a tragédia que nos rodeia.

Entrada de ano (e que venha 2010), choveu mais que o necessário, choveu mais que as nuvens pudessem suportar...  Angra dos Reis(RJ) teve seu prejuízo a parte, a soma ( desastre e incerteza) fez muita gente achar que o "Fim do mundo" se aproximava e que tudo acabaria em água... São Paulo, inacreditavelmente, não parou de chover, deixando muita gente com pensamentos "afogados". A água, leva em poucos segundos, tudo aquilo que demorou uma vida pra se construir, e isso de fato é muito triste, doi pra quem perde, preocupa pra quem está convivendo e perturba pra quem assiste de longe.
Eis que a estatística aponta para o lado de cá, o lado do Paraíba (RJ), isso mesmo, Volta Redonda, Barra Mansa, Resende e Barra do Piraí não escapam desse atroz... 
Explicações? Pra quê? (Je n'ai pa compris ce que vous avez parlé - até q as aulas de francês  salvam meu português) Isso mesmo,  nunca se entende nada, não é mesmo?!! Ai que depois a água volta ao seu corre-corre natural deixando pelo caminho, já seco,muita sujeira, è o rio devolvendo o que não lhe pertence...
... Um dia, no trabalho, "surge uma pequena discussão",na hora do cafezinho. Falávamos sobre os desastres (e que deve ser tema de muitos cafezinhos por ai), mas em destaque, falei sobre Haiti, dizendo que foi bonito o gesto de algumas familias brasileiras querendo adotar crianças órfäs do Haiti. Eis que, uma observação me causou um desconforto: "Não concordo, Tati, aqui, no BR, temos muitas crianças pobres querendo um lar, aqui no BR temos muitas desgraças pra pensar em outro país. Portanto primeiro devemos  fazer caridade aqui, na nossa terra, pra depois pensar em outra..." e blá blá blá.... Não concordei, nunca concordarei com isso, eu disse a ela, que, fazer o bem, não importa a quem é sim, grandioso. Fazer uma criança feliz em qualquer lugar do planeta é fantástico. Não consigo pensar que existe essa ideia de "por aqui primeiro", não!!! Faça alguém feliz, quebre essa barreira, somos um só perante a Deus... e bla bla blá...  Ela disse: -Mas e os milhões doados pelo BR, p q não tem assistência aqui?
A questão politica, já nao entro em questão, mas se for pensar em dinheiro, então o que precisamos é de verba pra educação, só assim pra aprendermos que lixo tem que ficar no lixo...O que acha?
*Fotos de Família Romano, meus amigos barrenses!

Um comentário:

TIA AUGUSTA disse...

e gente reclamando do tênis molhado e barrento