terça-feira, setembro 28

Expedição Cuba - PaRtE 1

Havana-Cuba
Voltei! Voltei?
Cuba! Pequeno no nome e grande. Perdia-me na grandeza dos sentidos. E todos aguçados por este lugar.
Sem dúvida foi uma viagem de descobertas, afirmações, desafios e indagações...
O calor era suportável diante algumas rodadas de Mojito, Cuba Libre, Daiquiri...
A nostalgia musical tomava conta das esquinas em meio ao bolero, salsa, merengue, rumba, mambo e jazz...
Carros antigos, dos clássicos ao ferro-velho. Carros novos, dos convencionais... (é normal cubanos pedirem carona no seu dia-a-dia, todos saem ganhando: o dono do veículo por dividir o combustível e o carona, por chegar mais rápido no trabalho pagando-se menos)
Das ruas, o ambiente velho é patrimônio da nação e o novo, ambiente construído pelo governo e que é do próprio...
O glamour, em épocas festivas de Fulgêncio, perdeu-se no tempo e no "espaço". Apagou-se. O luxo abandonou a ilha com rabo entre as pernas, levando consigo todos aqueles que não compreendiam o significado de uma nação. Dos hotéis, 4 a 5 estrelas, restaram-se 25 andares em passos largos com vista à uma cidade envelhecida, contrariada por uma história. Um lugar que se respira Fidel e se inspira Che.
Abrigam-se livros, obrigam-se estudos (sim, porque lugar de criança é na escola), afirmam-se rebeldes (jovens blogueiros "revolucionários") e aplicam-se ciência (saúde para todos).
Uma ilha de esperança, baseada em ideologias. 52 anos, revolução para um povo que já pede outra revolução. Há os que viveram em época Batista - sabem do valor absurdo que é ser cubano e há aqueles que sonham com uma vida "llena" ao cosumismo e com liberdade de expressão.
Desafio de um país, orgulho de um regime, indignação de um sistema. Sistema? Qual mesmo?
-Esse nosso do dia-a-dia. Esse mesmo do poder, da violação...O mesmo que embarga, exatamente o mesmo.
Bienvenidos a um país de contrastes. E que façamos uma viagem única, façamos uma reflexão do antes e do depois (sempre), como diz Fidel:" A história me absolverá"...
"Milhões de crianças dormirão na rua, mas nenhuma delas é cubana"
Até amigos, com expedição Cuba!

5 comentários:

Leo Mandoki, Jr. disse...

o maior dom de um viajante é saber se perder no momento exato em que ele alcança o seu destino. Vc chegou em Cuba e decidiu se perder dentro de Cuba. E foi se perdendo nos "interiores" de Cuba que vc foi conhecendo Cuba. Perdendo vc foi tbm se conhecendo. Esse é o seu dom: se deixar se perder logo assim que vc conhece um lugar.
(escreve mais!)

Tatiana disse...

sim, esse post foi: expedição cuba, parte 1...
valeu!!

Leo Mandoki, Jr. disse...

esperando ansiosamente pela parte 2...uma outra parte 2

Tatiana disse...

apressado come cru, já ouviu isso??? rs bjo bjo

Carla e Élio disse...

Menina! Muito legal seu blog... Virei fã... Cuba está nos meus planos de 2014, se Deus quiser! Tenho outros roteiros para fazer antes, mas nunca descartei esse misterioso país... Se quiser me acompanhar nas minhas aventuras acesse meu blog
www.expedicaoandandoporai.blogspot.com
Bjs e boas viagens!
Carla Nogueira