sábado, março 24

Eu + 34.999 pessoas no show...


...Chegamos tão cedo pra pegar o melhor lugar, conseguimos! Na frente!

A diversidade me liberta: um show no lugar mais contemplado do planeta em ritmos completos e arrepiantes - uma interação de samba e rock...dessa vez sem samba, dando espaço para os adeptos das antigas e fãs de Roger Waters - na praça da Apoteose.


O show "The Dark Side of The Moon" contou com a presença de 35 mil pessoas, guindastes penduraram caixas atrás das arquibancadas para dar o efeito ao som. Não faltaram as músicas: Sheep e Leaving Beirut, Mothers (que amo de paixão), Time (que meu amigo Marcelo aprecia)a clássica Another Brick in the Wall ...

Um momento : o que ele chega bem pertinho da gente uns 2 metros com aquela guitarra e aquela expressão cansada...Gerações - desde pequena escutava Pink Floyd, o cd The Wall... realmente vi a emoção brotar no rosto do meu pai, da sutileza das mãos da minha mãe num ritmo de pra lá e pra cá e na voz da minha irmã, cantando todas as músicas e o que eu fiz? Fechei os olhos e curti.


Mensagens do show: "O medo constrói Muralha" - sempre tive essa sensação

"Bush, não estamos à venda"

tradução da música Another Brick in the Wal


Nós não precisamos de educação
Nós não precisamos que controlem nossos pensamentos
Nem sarcasmo na sala de aula
Professores, deixem essas crianças em paz
Hey! Professores, deixem essas crianças em paz
É apenas mais um tijolo no muro
Você é apenas mais um tijolo no muro
Nós não precisamos de educação
Nós não precisamos que controlem nossos pensamentos
Nem sarcasmo na sala de aula
Professores, deixem essas crianças em paz
Hey! Professores, deixem essas crianças em paz
É apenas mais um tijolo no muro
Você é apenas mais um tijolo no muro
"Errado, faça de novo."
" Se você não comer toda a comida, você não pode comer
nenhum pudim. Como pode você comer todo o pudim, se
você não comeu toda a comida?"
"Você! Sim, você ainda vai continuar a ser uma
mocinha."

2 comentários:

Anônimo disse...

Tati, tão viral quanto a catarse coletiva, é a metamorfose emocional pessoal através da qual atingimos uma parte delicada do nosso âmago. É como se pudéssemos atingir o nosso coração com a ponta dos dedos, pegá-lo com as mãos em concha e dizer para ele (embalando-o como a um neném): -Eu te entendo!. Já ouvi "Mothers" em retribuição e confesso que descobri nuances até então desconhecidas para mim. Um carinho a ti mi cariño! Marcelo Brito.

Carla disse...

Putz!!! Lembranças de um showzão!!!

Foi muito bom, né? Sem palavras...

Bjs bjs!
Carla.