sábado, agosto 11

LoSt - e nos encontramos por lá





*A tão falada vila da Thyssen Krupp hj BR Metals

...E meus amigos, cadê? E meus caminhos, quais? E meus sonhos, outros??E a esperança, morre??
Percebi que tá tudo ai, por ai, é só procurar, encontrar...e hj percebo que, os que são, podem ir, mas continuam como: são! Sim, são amigos e amigos tá com a gente.
Vejo uma msn no celular: Tuti, quando iremos a na Thyssen? Retornei a msn: agora!
Essa idéia estava na vontade e na cabeça... mas saiu!
Muito bom rever coisas que te fizeram ser.
Nossa, é muita coisa pra contar, coisa simples de pé no chão - vai calçar um sapato menina, vai ficar doente! Essas pragas a gente não pegava, né Nanda! Nanda é uma amiga muito querida - era assim: íamos pra escola juntas, voltávamos juntas e mesmo assim combinávamos de cada dia o almoço era na casa de uma! E assim foi. Ficava mais lá do que cá, mais nela do que sem ela...saia e tinha avisar, pq na maioria das vezes íamos juntas -viajávamos juntas, chega! Muita melação. Mas é isso, morar num fim do mundo, onde Judas perdeu as meias (nem eram as botas), ahaha mas todo mundo gostava de ir pra lá hehehehe
Mas lá não se resumia só na nossa amizade, e sim outras: éramos babás, crianças e mais crianças bricanvam com a gente, na piscina, no mato, na rua... Pra caminhar era eu, isso, eu levava a meninada pra caminhar... hummmm e a bicicleta, nossa!
Eu lembro de cada coisa, cada chuva, cada vento, cada lua daquele lugar, lugar esse que vivi 17 anos, vendo gente chegando e saindo de lá, até um dia minha vez! Nossa vez, eu primeiro, depois ela! Simples: tudo isso cansa, não pra gente que tinha outras perspectivas, mas para nossos pais, era muito longe de tudo! Mudei pro centro, meu pai sonhava com isso, a gente foi separada, assim, como cordão umbilical, como aaa sei lá o que, mas depois foi ela, o pai foi pro Canadá, meu Deus e o medo de "perdê-la", credo! Mas parei, pensei, pensei e parei e : não perdemos, acrescentamos, isso! Mais amigos apareceram, mais coisas vi e vivi e ela? Ahh ela continua a mesma, a queridinha da minha família... ela?? A ela tá lá, sempre me esperando e eu? Vivendo, respirando e reencontrando lugares que...aprendi a ser!
Saudade daquela casa, da nossa, deles! Morei ali, com um sabor de quero voltar! Voltar? Mas seria a mesma coisa? Todo mundo cresceu, outros estão por lá... nossos cachorros se foram, mas a capela é a mesma, todos foram enterrados ali por perto, agora não sei explicar! Mas foi ali.
É tudo tão engraçado, vivo isso, respiro isso! Essa vila se chama - Santa Cecília e a santinha tá lá na capelinha onde a gente enterrava nossos cachorros. Mas hoje, e hoje? Hoje vivo na Vila Santa Cecília, não lá (que pena), mas em um outro lá - Volta Redonda, coisas da vida, não??!!
Bom agora chegou a hora de ir embora... sim, embora, vamos esperar o ônibus no banquinho - Tati será q nossos nomes ainda estão nessa árvore?? Acho q não, vamos ver? Não, não tá, mas o banco tá, mas a árvore tá, mas vc tá aqui e eu tb! e ainda estamos pra alguma coisa!
Adorei e ainda percebo que, respeitosamente pessoas e coisas entram, mas entram e não saem mais!
Até nostálgico para todos

Um comentário:

Eude disse...

Sabe, LoSt foi mto legal. Mas ainda me surpreendo pensando em vc subindo em árvores e aprontando a valer ... rssrsrsrsrsrsrs. Como já te falei é facil perceber seu espirito aventureiro de hj mas não sei porque não imaginava isso na sua infância. Mas esse texto me fez lembrar de fds em uma fazenda em Areias-SP. Montava nos cavalos (quase cair uma vez), beber leite puro, tomar banho no riacho, brincar de pique bandeira, mas era legal mesmo ver a infinidade de estrelas no céu. Em VR nunca via muitas efeito da poluição. É incrível como as lembranças trazem a tona momentos tão especiais e que a mto pareciam esquecidos.