sábado, maio 29

E que se escorre pelas mãos

foto tirada no Salar de Uyuni - Bolívia (uma única mão feminina é que tem um anel  - a minha!)

...Foi quando silenciamos pq  as piadas e desabafos já não valiam mais... sentamos ao chão todos juntos, mostramos nossas  mãos e nos apoiamos. (Saudade amigos e obrigada pela reflexão na Bolívia, uma viagem de descobertas... vide posts antigos (...)

... Deve ser por isso que gostei tanto do seriado "Lost", não só pelas viagens à lugares sensacionais, mas pelas viagens "paralelas" de cada um em torno de si.
Gosto de misturar o passado (pela pura nostalgia que me causa) com o presente-futuro ( pela nudez de um sentimento ainda desconhecido)...
Gosto de dividir palavras com certas imagens. Porque se existe inspiração, admiro minha própria arte presa e eternizada em fotos.
Gosto de pensar que a minha maior construção humana se fortalece a três pilares (o erro, o sonho e a esperança). Um erro longe de ser fatal, um erro que foge de cálculos e previsões, apenas erro! Erro que se apóia na esperança e que, por sua vez se fortalece em sonhos. Eu preciso acreditar nessa arquitetura, ela é a minha base!
Gosto de idealizar as mudanças e acreditar no futuro. De saber que o medo existe, mas que tb existe a coragem de enfrentá-lo.
A vida tem graça! Da graça que se (ex)põe num papel, da graça que te (des)encanta e da (des)graça que se causa entre perdas e ganhos. Depende de quem vê e a posição que se vê. Simples assim!
Já não depende de mim a sua compreensão. Já não depende de mim a minha própria conclusão. Pq hj sou assim e não será assim que morrerei um dia. E se tiver conclusão, que essa seja com prazo de validade, desses que expiram com o calor do ambiente. E que não dependerá de mim.
Se existe eternidade que ela seja reinventada, assim como escrevemos uma carta. As palavras se eternizam mas o significado delas não. Depende de quem e onde se vê. Tudo (se) depende. E alguém ainda duvida da lei de Lavoisier: "Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma."
Mas eu tb gosto de pensar em transformação, gosto daquele frio na barriga quando o assunto é incerteza.
Mas não depende só de mim, pq o que dependeu já escorreu de minhas mãos... 

Música Lulu Santos :

Eu vejo a vida
Melhor no futuro
Eu vejo isso
Por cima de um muro
De hipocrisia
Que insiste
Em nos rodear...

Eu vejo a vida
Mais clara e farta
Repleta de toda
Satisfação
Que se tem direito
Do firmamento ao chão...

Eu quero crer
No amor numa boa
Que isso valha
Pra qualquer pessoa
Que realizar, a força
Que tem uma paixão...

Eu vejo um novo
Começo de era
De gente fina
Elegante e sincera
Com habilidade
Pra dizer mais sim
Do que não, não, não...

Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há pra viver
Vamos nos permitir...

*Um desabafo para mudanças que venho sofrendo no trabalho e na vida

3 comentários:

gerardobasabe disse...

Hola Tatiana. Muy bueno lo que se ve aquì en tu blog.Te dejo un abrazo.chau.

Tatiana disse...

Hola Gerardo. Muchas gracias por su visitación... Lo que ve es lo que vivi!!! Gracias

Jonathas Nascimento disse...

Oi Tatiana,

Adorei o nome do blog e me lembrei de Renato Russo: "E depois do começo o que vier vai começar a ser o fim...".

Abraços,