quinta-feira, julho 23

Mudança: outra casa, outra cidade, outros ares

olha o que nasceu no quintal!
Muitos colhem aquilo que plantaram... Na verdade fui contemplada (como se tivesse feito um consórcio), sim, ganhei! Nem semente, broto ou muda... nem plantei... muito menos reguei. Simplesmente saiu esse veludo branco em meu quintal... E nem posso dizer que merecia, pq nem cuidei com devido carinho. Talvez a felicidade seja um pouco disso: no corre corre diário, um dia, um belo dia, alguma coisa nos faz parar. Alguma coisa toca a gente, toca no fundo da gente!
Recebo uma visita calorosa dos meus pais quando um suspiro de minha mãe me chama a atenção: aaaaahhhh que lindo! Eu respondo: quem, onde, cadê?? Até que poderia ser o Tom Cruise passando na rua... ou até pensei que fosse a tartaruga do vizinho, que foge quase toda semana (e que amo)... Mas não, não era nada daquilo, minha mãe nem disse nada, apenas apontou, pronto, com o dedinho ela me mostra a leveza em meio ao matagal que se transformou meu quintal... Olho. Olhei. Não posso descrever a beleza Per-fei-ta da natureza, a beleza de Deus. Deus reina em meu jardim!
Mas o assunto do post não é"Mudanças"? Mas e a flor? Quem irá cuidá-la? Quem irá apreciá-la? Quem irá regá-la? Pois é jardim, meu jardim... estou partindo. Já sabia que esse seria meu destino. Não conseguiria me prender a sua beleza por muito tempo. Não consigo ficar por muito tempo... Ficar não é comigo, sou da expressão de: estar! Não tenho endereço fixo (nem quero)... pq se me prendo a um lugar me prendo ao vício! Estou de partida para o longe... mudo de rua, de casa, de vida.( Já morei em república, já dividi quarto,já morei/moro só) Resolvi então a mudar de ares. Minha trasferência pra outra cidade saiu... já logo penso em outra, aquela que me jogue láaaa pra longe, aquela que me candidatei - outro país, te quiero! Mucho gusto en conocerte! Porsupuesto! Enfim, uma coisa de cada vez...
Portanto, adeus quintal, adeus rua, calçada do dia a dia, adeus ponte, adeus portão, adeus cidade, adeus!
E não foi atoa que me disseram q sou desprendida das coisas... e tb das pessoas. Claro, concordo! Assim como meu pai me deixou ser, me deixou escolher, me deixou voar... Deixo tb vcs, meus amigos, deixo-os partirem, viverem, caminharem... Que sejam do tamanho de seus sonhos, que acreditem!
...Engraçado, né, esse lance de amar, cada um tem seu jeito. Uma vez recebi uma crítica por ser ausente para com minha família. P q as pessoas querem tanto a carne, tocar e serem tocadas? Não vejo Deus e sei que Ele existe, sei que Ele nos ama!
Amar é: respeitar, transcender, evoluir... Eu os amos e os respeito, afinal são minhas raizes, aqui na Terra. E muitos jovens ainda próximos aos pais conseguem esquecê-los: se drogando, se matando, se ferindo...
Minha força e inspiração estão neles, como se falassem pra mim: vai!
...Deixo então a cidade(Volta Redonda-RJ), nossa, como é bom quebrar nossos próprios paradigmas... Não gostava dela, não mesmo, a poluição me incomodava, o barulho idem... Foi ai que por ironia do destino ou pelo Divino trabalhei por um período dentro da maior siderúrgica da Am Latina - CSN, através do banco, em que trabalho pude ver os negócios, pude ver da onde que tiravam o pão de cada dia... pude acompanhar os investimentos, as certezas, as receitas... as variações do mercado. E então com poluição ou não, 70 % da cidade ou até mais depende dela, da CIA do aço. Se aquilo fecha... nem quero pensar. Lá dentro tem 4 instituições bancárias, sei lá quantos refeitórios... sei lá quantos empregados...Enquanto a solução sustentável não vem... eles continuam de turnos ou de ternos, buscando o pão de cada dia.
Deixo então o trabalho daqui, depois que trabalhei dentro da usina fui para outros ares, cá e lá, reuniões, cursos, amigos. Amigo, o que me marca mais... E o cafezinho?? Deixo-os com a certeza de que ainda iremos nos cruzar... Sei que tb me deixam, me deixam ser!
Chegou a hora de dizer obrigada, claro:
Deus, sem a sua proteção, não saberia pra onde ir, hj já sei aonde chegar!
Pai e mãe, obrigada por acreditarem em mim, até quando eu mesma duvidava!
Crianças, obrigada pelo sorriso, pela sinceridade. Continuem acreditando e sonhando!
Natureza: aos olhos de Deus, vc me constrói, renova minha "bateria", me acalma. Minhas raizes são tão profundas quanto as suas!
Amor: Da maturidade que se consegue rir, quando em outros tempos choraria.
Amigos: amizade é um meio-amor. Falo daquelas amizades para as quais apenas sou: uma pessoa com manias, ilusões, tristezas, erros e acertos. Para eles, apenas sou, verdadeiramente!
Quero continuar, quero ir... quero estar! Quero deixar... quero encontrar! Ainda quero muito mais! E que venham as mudanças, mais amigos, mais lugares, mais responsabilidades e, de preferência, com mais flores no jardim!

Um comentário:

Nanda disse...

ih, me deu arrepios... eu pensei em desejar boa sorte pra vc nesta sua nova etapa, mas aí eu me lembrei que não acredito em SORTE. Quer saber? Eu sei que muitas flores vão nascer nos seus novos jardins, porque vc pode nao plantá-las no solo, mas planta nos corações. Pensa que a natureza nao sente? Pois sente sim. Tudo de bom, tuti. Vc merece!